2006-08-31

Eu



Esta cabeça no espelho da casa de banho é minha. Se alguma vez eu perder a cabeça, por favor enviem esta foto a familiares meus, para que possa ser recolocada. Obrigado.

Dizer mal de alguém



Hoje apetece-me escrever, mas não tenho assunto. Assim sendo, e como o melhor a fazer quando não há tema de conversa é dizer mal de alguém, deixo aqui estas fotos, juntamente com a transcrição do que o fotógrafo ouviu no momento:

1. Marques Mendes - "Alguém me arranja uma cadeirinha daquelas de prender às mesas dos restaurantes? É que assim pareço uma criança, pá..."

2. Santana Lopes - "Isto já devem ser horas de ir ter com a Cinha... Que chatice. Logo agora que ia ali à suite do Ritz fazer entrevistas de trabalho para secretária... Bem, que se lixe a Cinha. O sexo oral sempre foi a minha prioridade.

3. José Sócrates - "Eh pá, isto é giro! Agora gritem comigo: Heil Socrates!"

4. José Cid - "Isto vai sair em quantos Megapixels? Dá para fazer um outdoor e por ali no Marquês de Pombal? Não?... Então?! Quer que tire o disco da frente? Não? Não fuja, espere!"

(Tive a decência de não colocar uma foto grande, para não causar danos psicológicos a ninguém)

5. Abel Xavier - "Tu queres ver que é desta que descobrem que eu sou um javali...?"


6. Emplastro - "Gosto muito de fotogafias! Não me ponham é ao lado da Paula Bobone, que um homem tem a sua dignidade, num é?"

2006-08-25

Sentar no banco do Metro


Acomodar o traseiro num banco do metro pode tornar-se numa tarefa altamente perigosa.
Muitos de nós já presenciaram isto: alguém topa um lugar todo jeitoso, mas como está longe, acaba por chegar lá mesmo quando se ouve o prriiiiiii! prriiiiii! prriiiii! das portas a fechar. Isto significa também que o comboio vai arrancar exactamente ao mesmo tempo que o transeunte incauto se prepara para aterrar a sua padaria no banquinho.
Isto traz duas consequências possíveis, uma boa e uma má: a boa é que, se o banco for virado para a frente do comboio, a aterragem é um pouco forçada mas (quase) perfeita; a má é que caso o banco seja dos opostos ao sentido da viagem, podem acontecer coisas verdadeiramente preocupantes, e é aqui que eu quero chegar. Passo a explicar.
Nestes casos a força exercida pelo arranque do metro faz com que um rabo que já se preparava para sentir o conforto acolchoado do banco se veja subitamente afastado deste. O problema é que o ser humano não tem apenas rabo, tem tronco, cabeça, braços, etc. E é toda esta panóplia de membros (e mais alguns) que vai disparada rumo à pessoa da frente, que fecha os olhos e defende-se como pode, ora segurando a pessoa projectada (aqui pode haver mãos em sítios impróprios sem que se faça por isso), ora levando com ela em cima sem reagir (isto não é bem uma defesa).
Se pensavam que esta última era a pior das hipóteses, desenganem-se: o que eu vi ontem foi bem mais horrível. Na situação que descrevi estava uma senhora voluptuosa (não no sentido sexy do termo) e à frente um senhor indiano absorto a olhar pela janela. Quando vi o traseiro da senhora a fazer-se à pista no momento do prriiiii! prriiiii! prriii! temi o pior. E o pior aconteceu.
Imaginem isto, mas em slow motion, para dar um aspecto mais cinematográfico:

1) O rabo da senhora estava a uns escassos 10 cm de atingir o banco, quando o metro arranca;

2) Começa o desastre no momento em que, centímetro a centímetro, rabo e banco se afastam;

3) 11cm , 12cm , 20cm! Neste momento o indiano olha esgazeadamente para a senhora (esta já com os olhos esbugalhados a prever a queda) e agarra-a nos ombros para impedir o embate;

4) O tronco da senhora estabiliza, mas os indianos, como sabem, só têm 2 mãos;

5) Começa a cabeça da senhora a dirigir-se descontroladamente em direcção à cabeça do pobre homem;

6) Ficam cara a cara, com o espaço de 1cm entre os narizes e a senhora manda um portentoso

AI MEU DEUS! - mesmo na cara dele

Navio-Escola SAGRES


Porque é que só existe o Navio-Escola Sagres? Para quando um Navio-Escola Super Bock, ou uma Caravela Cristal ?

2006-08-24

Beware of Geeks


Como vimos no post anterior, há todo um passado macabro na história destes seres de óculos de massa. A fotografia acima mostra dois deles na guerra de Tróia (foi uma foto velhinha que encontrei no sótão) já com os ditos óculos.

Espera aí... Eu também tenho óculos de massa. Mas os meus são todos pipis, o que me retira do clã.

Pois é, desde a Pré-História aos nossos dias, passando pela cultura helénica ou pela oriental, sempre houve geeks. Mas hoje quero falar do lado bom destas criaturas de Deus: se não existissem, nunca se teriam inventado preciosidades como esta:



...Acho que fui claro.

Tiauga

2006-08-23

Geek

Acredito que tenham existido homenzinhos do tamanho de hobbits. E sei porque se extinguiram: foram dizimados pelos geek's primitivos. É verdade. Segundo algumas teorias (todas minhas) já existiam australopitecus geek's, que eram gozados até pelos macacos mais atrasados em termos de evolução (Darwin, perdoa-me), e que já então penteavam os seus oleosos cabelos por meio de pinhas, resina e saliva q.b., de modo a atingir o efeito "lambidela de vaca", tão conhecido nos nossos tempos.
A extinção dos hobbits tem uma explicação muito simples: eram mais pequenos do que os geek's. E um geek que se preze tem que encontrar alguém mais pequeno para poder torturar com frustrações avulsas. Um ataque deste espécime é terrível: como toda a gente goza com eles, acabam por armazenar as "armas" com que foram atingidos para depois se vingarem em seres mais desprotegidos. É a selecção natural a funcionar.
Então o que acontece a seguir?, perguntam os meus inexistentes leitores. - Toda a panóplia de bocas foleiras que os geek's vão ouvindo ficam guardadinhas para arremessar gratuitamente a quem quer que lhes pareça mais sensível ou desprotegido. Foi assim que os hobbit's morreram... Terrível... A serem gozados e pontapeados na cabecita por seres possuídos pelo espírito de vingança.
...como a vida é lixada.

(to be continued)

Tiauga

Nasceu! É um menino!

Depois de 9 meses sem saber que estava grávida, a web lá pariu este blog... Confesso que foi sem querer, e que a culpa é do Nuno Markl.

Não, não é o pai, mas também não deixa de ser culpado: foi para comentar um post dele sobre o ER (Serviço de Urgência) que acabei por dar à luz este menino. Bem... Agora resta-me esperar que cresça e que aprenda a jogar à bola, playstation, carros telecomandados, etc.

(se tiver algum dia um filho é isso que vou fazer).

Tiauga