2007-03-13

Vergonha Alheia

Já todos a sentimos, mesmo que à primeira vista não seja imediato o significado da expressão. A "Vergonha Alheia" é um arrepio, um constrangimento que sentimos ao presenciar uma situação incómoda que acontece a alguém que não nós próprios.


Um bom exemplo são aqueles segundos iniciais dos jornais televisivos, entre o ligar da câmara, do som... e do pivot! Sim, porque parece-me que há alguém responsável por ligar os apresentadores dos telejornais no modo pivot, sempre que começa o serviço, e às vezes só os ligam bastante depois de a emissão ter começado.

Na semana passada, o pivot da SIC perguntava insistentemente para a câmara "A gravata tá direita?... A gravata tá direita?... Epá, a gravata tá direita ou não?" - e eu - sentado à mesa - fiquei com a colher da sopa entre o prato e a boca durante aqueles 10 segundos. Senti aquela vergonha que ao mesmo tempo é puro gozo, uma mistura de "eh pá, que mau..." com "adoro isto!"

Há uns dois ou três dias foi uma pivot da RTP que - entre uma peça e outra - me fica a fitar durante uns bons 20 segundos, à espera que alguém se digne a colocar aquilo no ar. É incrível a sensação que se tem, quase de pânico, a pensar "alguém ajude a mulher, não vêem que está à rasquinha?!" - Ela bem olhava para todo o lado e gaguejava umas sílabas: "aaaahhh... bem...aaahh.... eeeerrrr...."

TERRÍVEL, é o que vos digo!

O mesmo se passa por exemplo com aquela situação típica do "pisar-o-cagalhão-e-ser-o-único-a-não-dar-por-isso", em que notamos que toda a gente reparou menos a pessoa do passo certeiro... Apetece avisar, mas a verdade é que na maior parte das vezes ninguém o faz...

Fica tudo a experienciar a vergonha alheia, essa tosta mista de incómodo e comédia.

P.s.: Deixem os vossos testemunhos de Vergonha Alheia, que eu juro que publico um post dedicado a "casos reais da vergonha alheia".