2008-10-31

Perguntinha de Fim de Semana


Qual o nome do programa que em tempos dava imediatamente antes da série supra-escarrapachada?

Por favor, argumentem devidamente a vossa resposta.

Quem acertar, recebe um cabaz de Natal contendo, entre outras iguarias: duas bailarinas eslovenas, um rolo de papel higiénico do LIDL, um galo de barcelos e um passe da carris.

És um aldrabão, Brandão


Para quem acha que o que escrevo vem da minha imaginação, a fotografia acima serve para provar que o seguinte episódio (tal como todos que aqui transcrevo) foi real:

Estava eu a dar uma volta de bicicleta com um amigo meu que se chama Tiago e que não sou eu próprio (pronto, já começam a não acreditar... mas é verdade. Eu sou o gajo da frente e o Tiago é o de trás, de óculos Ray Ban) quando ao quilómetro 18, ali para os lados do Poço do Bispo, a minha câmara de ar à prova de furos fura e eu fico apeado.

Oh meu Deus... que fazer? Estamos a 5km de minha casa e são nove da noite. Só nos restava beber para esquecer. Fomos comprar minis e minuins. Esvaziámo-las e esvaziámo-los. Fomos comprar uma litrose. Nisto encontramos o Santos e Costa, um angolano aí com uns 50 anos, já bem bebido, que me pergunta o que aconteceu, e ficámos os três à conversa:

Eu: Epá, furou-se...
Santos e Costa: Xiii... E agora?
Tiago: Olha, estamos a beber para esquecer.
Eu: Pois... E a comer minuins.
Santos e Costa: Oh pá, tenho uma bomba de ar que enchia isso num instante.
Eu: A sério? tens aí?
Santos e Costa: Não, tenho ali num barracão, mas na 3.ª feira levo-a para a vender na feira da ladra, aparece lá.
Eu: Epá, se calhar não me apetece esperar até 3.ª feira para encher o pneu... Deixa estar.
Tiago: Mas tu és de onde?
Santos e Costa: Sou metade angolano, metade português. E sou o único gajo que combateu nos dois lados da guerra colonial.
Eu: Eh lá...! Como é que foi isso?
Santos e Costa: Então, primeiro combati por Angola mas depois vim para Portugal e combati por Portugal.
Tiago: Contra Angola?
Santos e Costa: Atão pois!
Eu: Fogo, meu, grande história... Mas conta lá, não tens saudades da tua terra natal?
Santos e Costa: Sonho com isso todos os meses.
Tiago: Todos os meses!?
Eu: Então e não pensas voltar lá um dia?
Santos e Costa: Penso. Qualquer dia apanho o barco para Évora e depois o helicóptero bombardeiro para Angola e vou lá.

Morra aqui eu ceguinho e a gostar de novelas da TVI se isto não é verdade.

.

Nerd Magnet


Todos os dias me acontece qualquer coisa estranha. Tenho um nerd magnet com uma capacidade imensa. Imaginem um íman daqueles do frigorífico. Já imaginaram? Ok. Esse é de capacidade idêntica a um nerd magnet normal. O meu é um daqueles que agarram as carcaças dos carros quando eles vão ser transformados num cubo.

Desde levar com a Paula Bobone + Barão de Von Breisky em cima (literalmente) no aniversário do Lux até um gajo que dá um mortal à minha frente e entra para dentro do metro, já me aconteceu de tudo.

Ontem, ao pé do Corte Inglês, começo a ouvir gritos:

"Ó cabrão!!! Eu fodo-te a tromba, cabrão!"

- Com tão doces palavras, é óbvio que a minha atenção fica interiramente disponível, pelo que fiquei a ver a cena:

Um Smart com um gajo lá dentro - maior do que o próprio carro - parado ao lado de um táxi, a dedicar-lhe aquelas gentis palavras. O taxista cometeu o erro de responder qualquer coisa e o outro gajo irrita-se ainda mais, abre a porta do carro, esquece-se de tirar o cinto e tenta correr direito ao taxista, mas com um Smart agarrado a ele pelo cinto de segurança. Foi por pouco que o gajo não arrastou o carro para ir esmurrar o taxista.

Já à noite, a sair de uma pizzaria, há um bêbado que me recebe de braços abertos e me dá um abracinho. E depois a um amigo meu, e depois outro a mim e mais outro a ele e mais outro a mim.

Tenho um íman gigante ou não tenho?

.

2008-10-30

Ontem à tarde

Saí do trabalho, um frio estúpido, um vento do caraças. Vou arrepiando caminho até ao Metro. Cruza-se comigo uma mulher toda produzida, para aí com 1,80m, a olhar-me fixamente nos olhos.

Primeiro pensamento: deve-me conhecer de algum lado... a cara dela não me é estranha...
Segundo pensamento: será que é amiga de algum amigo meu...?
Terceiro pensamento: não... não tou a ver...
Quarto pensamento: fogo... sou bué da sexy.
Quinto pensamento: ...mas a cara dela não me é nada estranha, caraças...
Sexto pensamento: FOSGA-SE!!!, é a filha do Néné...

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.


Alguém me explica o que é isto?


Vinha no metro e vejo uma senhora com umas destas vestidas. Obviamente a música que me surgiu na cabeça foi esta:

Calças de Napa
Quem as não tem
Calças de Napa, castanhas e belas
Uma tara de alguém

Calças de Napa
Cheiram a bedum
Se apanham chuva, ficam com um fedor
Assim tipo canzum

[Musical]

Calças de Napa
Não causam mágoa
Até o Michael Phelps gostava de ter umas
Porque são à prova de água

Calças de Napa
Para andar de mota
Ou se não tiveres uma, podes sempre ir para o metro
Fazer figura de marmota

Lá-lá-rá-lá...

E por aí fora, que não me lembro de mais rimas forçadas.
Quem é que no seu perfeito juízo veste umas calças daquelas e vai para o trabalho como se fosse uma coisa normal?

...Sabendo que corre o risco de me encontrar no caminho?

...Ãn?

.

2008-10-29

Como vai essa cultura?


Recebi esta imagem com o seguinte texto anexo:

Na figura, as personalidades estão disfarçadas mas são claramente reconhecíveis.
A pergunta que se faz é quantas delas você consegue reconhecer.
Considere que há mais de uma centena de retratados, de modo que 20
(cerca de 20%) é um número minimamente aceitável.
Tente, mas sugere-se ampliar a figura. Boa sorte!


O objectivo é identificar todas as personalidades e para isso conto com a ajuda de todos, já que eu não identifiquei mais do que os tais 20... Peço-vos então que vão colocando os nomes que identificarem ali em baixo na zona de bitáites para completarmos o puzzle.

Aqui ficam os que já descobrimos (eu, o Bloga-mos, O Blog, a Rafaela e o Grassa, que sempre atento ao gado ovino, vislumbrou a Dolly):

Bill Gates
Pélé
Lenine
Hitler
Charlie Chaplin
Cui Jian
Sadam Hussein
Bill Clinton
Bruce Lee
Isabel II
Estaline
Mike Tyson
Vladimir Putin
Elvis
Gengis Khan
Napoleão
Ghandi + Dolly
Michael Jordan
Madre Teresa
Principe Carlos
Yasser Arafat
César
Che Guevara
Fidel Castro
Salvador Dali
Einstein
Lincoln
Karl Marx
Winston Churchill
Margaret Thatcher
Van Gogh
Jorge Bush
Luciano Pavarotti
Kofi Annan
Osama bin Laden
Marilyn Monroe
Mikhaïl Gorbatchev
Confúcio
Ariel Sharon
Toulouse Lautrec
Marlon Brando
Mozart
Freud
Shakespeare
Nietzsche
Audrey Hepburn
Deng Xiao-Ping
Tolstoi
De Gaulle
Chagall
James Dean
Jimmy Carter
William S. Borroughs
Hemingway
Mao Tse Tung
Imperador Ming
Pinochet
Lourenço de Medici
e a catraia é a Shirley Temple.
e atrás do Picasso está o VALENTIM LOUREIRO.


Quem vir mais, diga.
Thanks!

P.S.: Depois ainda dizem que este blog não ensina nada às pessoas... Pfff.
.
.

2008-10-28

Drugs don't work

Espero que tenham visto recentemente Paula Bobone na televisão. Ela já não batia bem da bola, mas agora dá entrevistas completamente coquinada e veste-se de um modo ainda mais esquisito do que antigamente. Faz com que as seguintes pérolas cristalizem uma Paula Bobone nos bons velhos tempos, quando o cérebro ainda a deixava conjugar algumas palavras:

Se um dia por acaso arrotar acidentalmente à mesa, disfarce. Mas como?, perguntaram-lhe. Olhe, arraste uma cadeira, sei lá...

No Verão existe grande proximidade e promiscuidade física. Já viu o que é ir até à Costa da Caparica e ter de me deitar ao lado de alguém que não conheço de lado nenhum? Como se não bastasse, ainda temos que conviver com aqueles que levam bolas para a praia e com os que passam o tempo a gritar. Em Portugal grita-se muito durante o Verão.

Em miúda, já ouvi piropos na praia, mas nada que me tivesse marcado. Em termos de piropos os portugueses são indelicados, às vezes semi pornográficos.

A maioria dos homens portugueses veste-se mal e ainda exibe o mau gosto. Só uma pequena elite sabe vestir-se.

Se me chamarem tia respondo, mas não me considero uma. Quanto muito sou tia atípica, porque tenho uma ideia revolucionária em relação ao povo e ao País. Responderia para não dar explicações. Sou tudo menos tia.

Preocupa-me muito o estado da cultura. É onde tudo começa e acaba. As pessoas cultas não são as que lêm muito, mas as que sabem interpretar o mundo. Em Portugal, ainda se sofre muito de analfabetismo cultural.

O terrorismo é equivalente às ratazanas nas nossas casas. Não há nada a fazer.


A praia da Rocha está civilizada. Tem uma coisa que eu odeio, que são os ecopontos, mas isso é mais uma bimbalhada à portuguesa.

A minha ave favorita é a borboleta.


.

2008-10-27

And the Winner is...


Pois é, segundo os mais recentes estudos estatísticos, Horatio Caine é a maior esperança para a resolução da crise financeira. Num universo de 24 pessoas de extremo bom gosto que votaram naquela coisa ali em cima à direita, 41% elegeram o Senhor dos Bitáites como o salvador das suas poupanças, dizimando assim a concorrência que incluia personalidades tão destacadas como Barack Obama ou Merche Romero. E quando falo em destacadas não me refiro às mamas nem de um nem de outro.

Depois deste censo, entrei em contacto com David Carusso e pedi-lhe que me respondesse a uma série de perguntas, enquanto ele punha e tirava os óculos de sol (que é como pedir-lhe que interprete Horatio Caine). Sempre simpático, Carusso acedeu prontamente e afirmou estar lisongeado com a escolha. Depois de dizer isto, meteu os óculos e foi-se embora, pelo que tive que ir a correr atrás dele para lhe fazer as tais perguntas, que passo a transcrever, já devidamente traduzidas:

Eu: David, durante esta entrevista posso tratar-te por Orácio Quem?
H.C.: Quem?
Eu: Sim.
H.C.: Como assim?
Eu: Não, Quem. Orácio Quem.
H.C.: An?
Eu: Como?
H.C.: Errr... Sim...
Eu: Ok. Diz-me, Orácio, em que medida é que o nosso poder de compra vai ser afectado?
H.C.: [olha por cima dos óculos e diz] Na medida em que vão ficar sem ele... [vira as costas e vai-se embora]
Eu: Péraí Orácio! Anda cá que ainda falta perguntar umas coisas, pááá...
H.C.: Perdão, são vícios de trabalho... [aqui, quase que se ia embora outra vez, mas lembrou-se e ficou]
Eu: Mas Orácio, e as minhas poupanças, como sei que estão seguras?
H.C.: Sabes que estão seguras enquanto não estiverem inseguras [mete os óculos e começa a andar para um sítio qualquer à toa]
Eu: [a correr atrás dele] Orácio! Não vás já embora, falta uma pergunta...!
H.C.: Epá, desculpa... Sempre a mesma coisa... Já a minha mulher está farta disto também e diz que vai pedir o divórcio... É triste...
Eu: Mas porquê?
H.C.: Porque cada vez que ela pergunta se quero ir para a cama, eu digo qualquer coisa, meto os óculos e saio porta fora... Não consigo evitar...
Eu: Calma, Orácio. Escuta, o que propões para salvar o Mundo do crash financeiro?
H.C.: É simples. Pego no Hummer, vou a acelerar pelo meio de cenários com cores berrantes e extremamente artificiais e depois chego-me ao pé dos gajos de Wall Street e digo-lhes "O Mundo está perdido e vocês são os culpados. Não vou descansar enquanto não vos vir a dormir entre quatro paredes e uma porta de grades" E depois ponho os óculos, viro costas e vou-me embora.
Eu: Só isso?
H.C.: Sim, normalmente quando mando um bitáite no início de um caso de homicídio, dirijo-me ao criminoso e ele acaba sempre por ser apanhado através de análises esquisitas, por isso... Estes meninos vão pagá-las bem caro, meu amigo... Bem caro.

[aqui já não consegui continuar a conversa, porque enquanto ele pôs os óculos e se dirigiu para um sítio avulso fora do enquadramento, apareceu uma frase a dizer "to be continued" e ele desapareceu. Fiquei a falar com o gajo do Mentes Criminosas, mas ele não disse nada de jeito, e fui para a cozinha comer um pastel de nata e beber um ice tea de limão]

2008-10-24

Bitáites do Mestre



Acabei de descobrir que em inglês, bitáite diz-se "one liner". Lindo.

2008-10-23

From Russia with Love


Quem tiver 3 minutos para ficar de boca aberta, clique aqui.

P.s.: Se por acaso isto já estiver em algum blog, as minhas desculpas por esse blog não estar na lista de blogs do meu blog.

2008-10-21

Agora sim, o plágio

kiritsu disse...

Acho mal andarem a copiar o video de outro blog que vos tem adicionado na lista de blogs e voces nem isso fazem. Ao menos que metam esse blog na vossa lista e avisem que vao meter coisas que sao retiradas de outro blog. Se nao têm originalidade o problema é vosso. Podiam se ter digando a tentar alterar o titulo que está muito semlhante ao do blog que postou o video.

Espero sinceramente que este seja dele. Pesquisei no youtube por kiritsu e apareceu esta pérola:



P.s.: Alguém me explica porque é que os asiáticos nascem todos com o reflexo condicionado de fazer o sinal de vitória de cada vez que se lhe aponta uma máquina fotográfica? Deixo-vos com esta questão no ar e o bonito vídeo musical a dar ambiente.

2008-10-15

Conto do Jacaré Estrábico


Mexendo os cereais devagar enquanto os olhos mortos (e tortos) se fixavam (pelo menos um deles) nas notícias matinais que asseguravam o enchimento da IC19 até ao gargalo, João enjoava percorrendo com a mente o tempo que ainda teria que perder até chegar a Sacavém a horas de não estar atrasado.

Desisto. Por que raio é que eu vim comprar esta merda deste T1 na Agualva? Um gajo não pode sequer sair à noite descansado, nem mesmo armado até aos dentes...

Emergiu os olhos fora da janela e viu a chuva que caía sem parar há horas, sem ele se dar conta. A humidade era muita. João procura as chaves do carro por todo o lado e nada. Nada. Nada. Nada durante 4 minutos e 47 segundos. Até que, debaixo das cartas da EPAL surge o porta-chaves em forma de palmeira, para o qual João já tinha imaginado dar um toque através do telemóvel, para ele apitar. Mas porque é que não inventam porta-chaves que dêem para se dar toques e eles apitarem? Merda, já me atrasei ainda mais...

Esgueira-se para dentro do Renault 5 e reza para que ele pegue à primeira. Pegou! Segue para a IC19 a todo o gás mas assim que lá chega vê a fila que se estende até perder de uma das vistas.

FODA-SE!!!

Liga o rádio e sintoniza a Marginal, para acalmar, mas os nervos não deixam e a música não coincide com a paisagem da Brandoa. Muda para a Orbital e sente-se confortável. Assim que o trânsito da IC19 desagua na 2.ª Circular, João anima-se e constata que afinal talvez ainda chegue a tempo de não ouvir do chefe. Mas ouviu. Ouviu, porque houve acidente na zona do aeroporto.

O que vale é dois gatos pingados distribuíam Destak's, Meia Hora's nos semáforos da Portela e enquanto o trânsito andava e parava, João lia os jornais. Um no colo outro no banco do pendura. Lia-os ao mesmo tempo, porque era estrábico. Lia-os ao mesmo tempo porque queria estar informado. Lia-os porque não era nenhum animal.

[to be continued...]

2008-10-14

BItáites sem gracinha nenhuma



A expressão Bancada Parlamentar, se for dita com os adequados níveis de álcool no sangue, ganha todo um novo sentido: Bancada Paralamentar.

Quando apanham o jornal metro e já só vem com metade das páginas, estão a ler o metro ou o meio metro?

Ahahahah! Ah! Ah!... Ah... Errrr... Isto não mete a mínima graça.

Olha, desisto.

Acordei com um humor sensivelmente igual ao da Ferreira Leite quando está com a Xica (se é que ainda a tem) em dias de Inverno e depois de o Marcelo Rebelo de Sousa lhe dizer que gosta mais do Santana do que dela.

2008-10-13

I had another dream



Desta vez sonhei que estava a fumar, o que provavelmente está relacionado com o facto de já ter fumado e de ter deixado.

É fixe. Um gajo fuma, não fica viciado, não fica a cheirar mal nem com mau hálito e ainda por cima não gasta dinheiro.

Esta noite vou ver se sonho com drogas duras.

.

2008-10-09

I had a dream


Ando a sonhar com a cena mais esquisita de sempre: Lama.

Fui procurar no Google por "interpretação de sonhos" e procurei o significado de "lama" em vários sites:

Site A: «Profundos desgostos, provavelmente por questões de família. Rompimento com pessoa em quem se depositava confiança.»

Site B: «Cuidado com calúnias. Pode enfrentar dificuldades.»

Site C: «As dificuldades serão resolvidas mais cedo do que se imagina. Perspectiva de uma árdua luta, mas que terá final vitorioso.»

Ora isto deixou-me ainda mais confuso, já que as interpretações se anulavam umas às outras, e decidi colocar esta aproximação de parte. Especialmente a partir do momento em que vi que lhe chamam "interpretação alquimista"...

Mas não fiquei de todo preocupado, porque o sonho tinha-me deixado era extremamente bem disposto:

Basicamente, o sonho que tive foi que ia por um caminho enlameado e a lama saltava-me dos pés e caía no chão em forma de vasos e das merdas mais complexas que se possam imaginar. Por fim, houve um bocado de lama que sacudi do sapato, que foi cair na cabeça de um velho cámone e ficou com a forma de uma bóina, muito bem encaixada na careca. Houve um momento em que ficámos calados, enquanto eu esperava uma reacção do velho para depois pedir desculpas... Até que o velho se começa a rir e eu a rir com ele... Aqui, toca o despertador e eu acordo às gargalhadas. Estranho, mas muito fixe, porque me deixou com uma sensação de conforto e felicidade ao acordar.

Isto foi antes de ontem. Ontem à noite, ao adormecer, tive este diálogo:

Ela: Epá, doem-me as costas... Preciso mesmo de descansar.
Eu: Ya... Sonha com lama...
Ela: O quê? Com lama? Tás maluco? Eu preciso é de estar confortável.
Eu: ...Então sonha com palácios de lama...
Ela: O que é que tu estás a dizer? Estás a dizer coisas sem sentido nenhum!
Eu: Epá, desculpa, estava a sonhar outra vez com lama e a falar contigo ao mesmo tempo.

2008-10-06

Não era nada...



Tou-ta dizer que era...

More Killing Beats



...Neste, a música é boa.

Killing Beats



Há beats fraquinhos, beats mais ou menos, beats agradáveis, beats bons, beats brutais e beats mortais.

...Quem nunca ouviu uma música tão má tão má que o pusesse a pensar "agora o que me apetecia mesmo era dizimar milhares de pessoas"?

Eu, de cada vez que ouço Brandi Carlile apetece-me pegar numa metralhadora e ir para o Colombo fazer piruetas e pliês (em slow motion e ao estilo Matrix) com o dedo no gatilho.

No dia seguinte, seria feita uma tenda de campanha onde os familiares poderiam fazer o reconhecimento dos cadáveres através da marca e cores dos fatos de treino.

2008-10-02

É a Cultura, minha besta.


Um gajo vai à Faculdade de Letras largar 450 xelins de ouro para que alguém o queira amestrar e ainda tem que levar com uma quantidade incontável de geeks e nerds que querem obter licença de geek e atestado de nerd em cursos que dão saídas profissionais nas mais variadas variantes do call-centerismo. Não obstante a pose é de filósofo brioso sentado no pedestal que os 18 anos de fato-e-gravata com óculos e livro de capa rija podem dar a um falhado que não o sabe ainda. O olhar de sou o maior e venho aqui mostrar que sei mais do que tu (eu) e do que os meus professores todos e vou ser o maior do Mundo porque Portugal é pequeno para se ser o maior. No bolso o maço de Gauloises porque o Sartre gostava e porque se o Sartre gostasse de comer cócó às colheradas ele também comia.

Asco.

Este post é dedicado a alguns dos cromos que fui conhecendo na FCSH e que hoje me atendem quando quero mudar de tarifário. E aos outros, desculpem o ritmo do texto, mas estou a ouvir uma música muito muito esquisita.