2009-05-29

Bom fim de semana, e tal.

Filho do Reculuso

Para quem não sabe, esta música ganhou o primeríssimo lugar no Top 5 das Piores Músicas de Portugal, ficando à frente de temas como "Vou-te excluir do meu Orkut", "A minha porca", "Mulheres Peludas" e "Puta Vida Merda Cagalhões":


E diga-se de passagem, merece o galardão.

É incrível, porque parece que o puto nem 12 anos deve ter, mas já está notoriamente bêbado. O que é compreensível: ele é filho do reculuso.

É que não me canso de ouvir o petiz a arrastar as consoantes como quem emborcou meia garrafa de Grants.

Special thanks to my good friend Ana Ladeiro

2009-05-28

Custa-me muito...



...Não ter sido eu a reparar nisto.

.

Fuck... It's the cops


Hoje ao fazer o meu percurso habitual, noto que está um trânsito do caraças e penso "será sexta-feira"? Depois chego à conclusão de que é quinta e começo a ficar simultaneamente desiludido e curioso quanto à razão de tanto tráfego. Simples: as estradas estavam cheias de engenheiros daqueles que regulam o trânsito.

Como ia de mota, o trânsito paradíssimo foi coisa que não me chateou, até soube bem, porque é a única altura em que eu de facto vou com mais velocidade do que os outros. Para aí a 40Km/h. Uma loucura. Nessas alturas sinto até a vertigem da velocidade e vejo as coisas a ficarem mais pequenas, como que a afunilar.
Mas às tantas, se calhar isso é da cerveja.

A sair do Cais do Sodré, passo entre uns carros e chego a um semáforo. Está verde, portanto avanço. Tiaguinho, o que tu foste fazer... Aparece logo um dos engenheiros a apitar e a gesticular, e eu parei a pensar "foi penálti?", mas não, porque o gajo vai e entre mais uns apitos meio tresloucados, diz-me a seguinte pérola:

Não vê que o trânsito está parado?!
- Então, mas o semáforo está verde...
Recue até ao sinal e só avança quando eu mandar.
- Ouça lá, isto não tem marcha-atrás.

Seguiu-se uma troca de olhares, em que o agente da autoridade tentava arranjar maneira de me fazer recuar 20 metros sem os condutores se rirem dele, coisa que se tornou impossível quando eu começo a rir no meio do cruzamento. Não contente com o enxovalho, diz-me o seguinte, do alto da sua estupidez:

Avance devagar, atrás desse camião.
- An-han...

Acelerei feito Fitipaldi pelo meio dos carros até desaparecer à frente do camião e de dois autocarros. Ainda não parei de me sentir bem com a figura que o homem deve ter feito nessa altura, porque nunca ouvi ninguém apitar tão alto, durante tanto tempo, sem ser no sambódromo.

Só lhe faltava um pandeiro e as góstósas péládonas.

pum-pi-txi-pum pi-txi-pum prrrriiiiiii-pi-pi-pi-pi-piiiiiiii



.

2009-05-27

Medicina no Trabalho


Medicina no Trabalho, o caraças. Foi Trabalho na Medicina, porque fui eu que tive que ir a Odivelas fazer as análises e o camandro. Obviamente perdi-me no meio de tantos prédios todos iguais, cada um mais arquitectonicamente avant-garde do que o outro e todos potenciais vencedores de prémios de arquitectura internacionais na classe de "Melhor Mamarracho do Subúrbio".

O meu sentido de orientação é masculamente eficiente. Posso estar no meio do Gerês e sei onde é o Norte, o Sul e a tasca mais próxima com mines a 50 cêntimos. Isso nunca me falha. Excepto na chamada "Zona 2" do Metro de Lisboa... O ordenamento do território nestes sítios parece ter sido feito por pedreiros com os copos a desenhar riscos em guardanapos de papel daqueles fininhos, no meio de um Benfica-Estrela da Amadora. Ou pelo Pollock. A ver o mesmo jogo no mesmo tasco e a empinar as mesmas mines.

E depois ainda encheram aquilo de pessoas suburbanas, que acham normal as ruas não terem placas a dizer os nomes.

Em resumo, andei a apanhar bonés (bonés suburbanos, com piercings na pala e tudo) durante uma meia hora, até dar com a clínica. Um enfermeiro suburbano deu-me um suburbano copo e disse suburbanamente "vá ali à casa de banho, este senhor está à sua frente". Deduzi que o senhor iria entrar primeiro do que eu, e que não ficaria suburbanamente à minha frente enquanto eu enchia o copo. Deduzi bem.

Foi com a precisão do Robin Hood e o estilo do Guilherme Tell que passei 2 minutos no WC. Meti o copo no bolso da mochila e fui para a sala de espera, onde me esperavam três singulares copinhos de tonalidades diferentes, bem-dispostos e bem-visíveis nas mesas das revistas, com mijo suburbano pertencente a três suburbanos senhores, dois dos quais à paisana. O outro foi de fato-macaco, que não há cá tempo para trocar de roupa. Nisto ele até tinha razão... Se é "Medicina no Trabalho" e nós é que vamos lá, porque havia ele de se disfarçar de outro gajo qualquer que não um mecânico?

Exames disto e daquilo, perguntas assim e assado, e dez minutos depois, o veredicto:

Senhor Tiago, o exame ao colesterol está óptimo, tem menos de 150 quando o nível de colesterol alto começa nos 190. A glicémia varia entre 70 a 100 e o senhor tem 70.

- Isso quer dizer que devo prosseguir com a minha dieta de amêijoas e caracóis?

Pelos vistos, sim... (risos). E com o respectivo acompanhamento também.

- Ah, bom.

No electrocardiograma, tudo em ordem. No exame à urina, detectámos que bebe pouca água. Tem que beber mais água, no mínimo um litro e meio por dia."

- Eu água, água, bebo aí meio litro, mas se considerar a quantidade de água presente na cerveja e no vinho, ultrapasso esse valor em larga escala, shô tôr...

.

2009-05-25

Macacos do Marquês


Ouvi dizer que um grupo de jovens músicos maçónicos foi processado por violar o Código do Direito de Autor. Parece que a música em causa se chama Rolling na Regaleira.

.

2009-05-22

Cara de Bêbado


Há coisa de meia hora, acabo de almoçar e percebo que não tenho café em casa. Aproveito para dar uma biqueirada na rotina, e vou beber café ao Rossio.

Assim que lá chego, dou por mim à porta da Ginginha. Coisa inconsciente. É do hábito, que posso dizer...? Neguei ao meu subconsciente a sugestão de mamar ginjas logo a seguir ao almoço. Disse-lhe: "obrigado subconsciente, pelo convite, mas agora quero mesmo é um café. A ginja é mais logo.". E ele tudo bem.

Entrei num snack bar atulhado de gente e procurei uma mesa. Tudo cheio. Regressei à rua, para tentar encontrar esplanadas apetecíveis, e dou com a do Teatro Dona Maria Segunda, a olhar para mim como quem diz "chega aqui, que eu já de f*d*..."

E eu fui.

Chego lá e digo:

"Boa tarde, era um café se faz favor."

Ao que o empregado responde:

"DUÁIS IMPÉRIÁIS???"

Nesta altura eu mando um mega-LOL e explico-lhe:

"Não... É café. E é só um."

Vou para a mesa, vejo os camones a passar e bebo o meu café, e coiso.
Peço a conta.

"São 1 éuro e 50 cêntchimos"

CONCLUSÃO:
- O cabrão cobrou-me as duas imperiais, que me f*di.

.

Fomos róbádos...!

Sado 550 Cabrio - 1982 - Entreposto - Portugal

Smart Cabrio - 2003 - Mercedes-Benz - Alemanha

UMM Alter - 1987 - União Metalo-Mecânica - Portugal

HUMMER H2 - 2003 - General Motors - EUA

Special thanks to PWFH e Cidadão Abt.

.

2009-05-21

LOL


Sou só eu que me sinto assim meio esquisito quando LOLo na Internet?
Não que eu ache mal o uso do LOL, mas na maior parte dos casos não se aplica um laughting out loud como resposta a uma laracha do género "bonito bonito é os tomates a bater no pito". Pá... Esboça-se um sorriso ou dá-se uma pequena risada, e o LOL não é de todo coerente com o "Ham-ham-ham-ham-Ah-Ah-Ah..." que de facto sai do nosso tracto vocal.

Para ser honesto, são muito poucas as vezes que eu Ri Bem Alto a ler coisas na Internet. E mais: quando isso acontece, fico tanto tempo a rir, que só escrevo qualquer coisa em resposta - como um LOL - quando já não estou de facto a LOLar (rir á parva é coisa que me priva temporariamente de carregar em teclas), ou seja, o LOL é quase sempre falso.

Mas não me julguem mal, até sou uma pessoa que ri constantemente disto e daquilo, simplesmente não me rio bem alto... Em primeiro lugar porque estou a trabalhar e não sou uma recém divorciada na casa dos 50, e em segundo, porque não costumo beber às 12 imperiais em frente ao computador. Nesses casos, sim, o LOL justificar-se-ia.
Nos outros, eh pá... Não.

...Pode-se usar só o Laughting Out: LO - Como em Jenny LO. Não?
Tá bem.

.

UMM


Adorava ter um carro cuja marca se chamasse União Metalo-Mecânica. Não sou nacionalista nem nada que se pareça, mas ter a possibilidade de ser dono de um carro português seria algo de deveras espectacular e que me faria assaz feliz. Provavelmente também assaz virilhas, que os UMM's não primavam pelo conforto.

O UMM é portugalidade em forma de carro. Quatro rodas motrizes de lusitaneidade. Qual espelho do nosso país, tinha as principais peças vindas lá da França: o motor era da Peugeot, mais ou menos como a Constituição Portuguesa foi importada das linhas de montagem francesas. A caixa de transmissão, à semelhança dos Ministérios, foi também ela um bonito copy-paste disfarçado com um "não, mas isto foi montado cá em Portugal". Os paineis de instrumentos, a sauffage (outra palavra que faz da francofonia uma coisa very tipical from Portugal) e até mesmo os piscas eram peças de Peugeots e Renaults.

O modelo mais conhecido dos UMM's é o Alter (até porque o outro é o Alter II) e ninguém me tira da cabeça que, à imagem dos SEAT's, aquilo é o nome de uma localidade. Se os espanhóis têm o Ibiza e o Toledo, porque é que nós não temos o Alter-do-Chão? Ibiza tem discotecas? Tá bem, mas Alter-do-Chão tem o "endireita". Aquele que só mete as vértebras e as rótulas do pessoal no sítio certo, se já estiver bem regado logo pela fresquinha.

Mas tinha a sua graça, o sacana do carro. Outra coisa em comum com o nosso país... - Toda a gente (tal como eu próprio) aponta defeitos e diz mal, mas a verdade é que gostamos disto.

Além de tudo o que já referi, o UMM foi como sabem o veículo de eleição da GNR e dos Bombeiros. Para chegar a tempo aos incêndios ou para impressionantes perseguições policiais, não era grande coisa, mas demonstrou com eles, desde cedo, a aptidão para carregamento de enormes quantidades de minis e médias.

E no fundo é com isso que todos os portugueses realmente se preocupam.

.

2009-05-20

Portugal emitiu gases 5% acima do limite estabelecido pelo protocolo de Quioto.


José Sócrates já encarregou a ASAE de proibir a venda de feijoada à transmontana.

.

M80

Liguei agora a M80

E fui bombardeado por uma série initerrupta de:

Áuânanôuálôviiiiiizzzzzzz!!!!
Áuânanôuálôviiiiiizzzzzzz!!!!
Áuânanôuálôviiiiiizzzzzzz!!!!
Áuânanôuálôviiiiiizzzzzzz!!!!
Áuânanôuálôviiiiiizzzzzzz!!!!
Áuânanôuálôviiiiiizzzzzzz!!!!

O He-Man é aiiiiiiiiiii-que-paniiiiiiiiiilhas!!!!!


Nem é pela tanga nem pelo cabelo a la Cristina Caras Lindas, é uma coisa mais freudiana: ninguém seguro da sua sexualidade faz questão de que o tratem por "Ele-Homem".

.

Actualização de informação em relação à situação


Afinal parece que a miúda é que se vai lixar, por ter gravado a aula.

- Estão com medo que ela consiga decorar melhor a matéria do que os colegas?

.

2009-05-19

Professora suspensa por suspeitas de não ter vida própria e por ser extremamente bardajona



Não sei qual é a alcunha que esta tem lá na escola, mas assim de repente conseguia baptizá-la com pelo menos estas:

Senhora Doutora Badalhoca
Bardajona Especializada
Pós-Graduada dum metro e setenta
Arrebentamohímen-à-nascença, mãe

O Rui Santos anda outra vez a pedi-las


Apesar da petição até ter algum sentido, perde-o completamente quando é encabeçada pelo Rui Santos, personagem que, a ter encabeçado alguma coisa, seria os barrotes de madeira que um gajo e dois primos carregaram até ao exterior dos estúdios da Sic.

Como não afogámos o Paulo Gonzo mas estivemos perto de o conseguir, peço a vossa assinatura para juntos podermos barrotear a cabeça do Rui Santos.

.

Alergia a Anti-Histamínicos



Estou com um ataque de espirros tão grande que espirrei a água e o Xyzal que tinha acabado de meter na boca.

.

2009-05-18

O Nebuêiro...

Todos nós conhecemos a Teresa Conceição, não conhecemos?

Siiiiiiiiiiiiim.

É esta senhora aqui:



E o que fez ela?
- Nada que eu não fosse capaz de igualar ou mesmo melhorar:



.

= Informação - Informação - Informação =


[É favor clicar em cima da imagem e tentar ler, que eu já explico]

Depois de ter animado alguns dos frequentes Saraus de Estupidez Aguda em minha casa, eis que o mítico Fax "=Informação - Informação - Informação=" chega aqui ao tasco.

Este raríssimo espécime foi trazido para a palhaçada geral por um camarada que, como eu, sofre de uma paralisia localizada naquela parte do cérebro que tende a aparvalhar a pessoa. Como se isso não bastasse, ainda trabalha num banco.

Foi lá que, qual Nossa Senhora, este Fax fez a sua aparição perante o olhar incrédulo não de três pastorinhos, mas de três gajos engravatados que, apesar de não terem bigodes tão farfalhudos como o da irmã Lúcia, também gostam de controlar umas cabras.

Passemos então à transcrição e análise aprofundada do texto supra-escarrapachado.

=Informação - Informação - Informação=

1 - BARCLAYCAR -> FAX.800844381 =
2 - BANCO C/ VOZ DISTORCIDA E PERUCA -> FAX. XXXXXX =


Isto que aqui vemos é nada mais nada menos do que o encabeçamento dos pontos a serem colocados à discussão. E discussão é o termo certo, porque o homem consegue gritar, mesmo num Fax.

1 - Dinheiro virtual? que foi metido na minha conta, já foi devolvido? Eu não PEDI NADA. (EU NÃO PEDI NADA)

Devolvido na caixa xxx/xxx/xxxx ENTIDADE xxxxx =
Referência xxxxxxx Montante 1000,00 EURO.
2008/10/08 OLAIAS LISBOA = 19h41m

PONTO FINAL.
__________________________________________________________

De destacar a sinalização com um PONTO FINAL duplo. Falado e escrito. Isto é oralidade em forma de fax. Desconfio que o homem gritou com o Fax, e a máquina escreveu à mão o que o homem ditou, para não levar porrada. Continuando...:


2 - Pagamentos? Agua - LUZ - GAZ.
MAIS NADA. ESTE Foi o meu pedido
(Notem ali atrás o diminuir gradual do tom de voz, para ganhar fôlego para o grito)

= ALGUMA DÚVIDA???? =

António Amorim Fontão 93xxxxxxx

O Autor assina, para depois usar a chave de ouro, o verdadeiro "punchline" filosófico-rural:

OBS. Muitas VEZES A IMAGEM PAGA É NEGATIVA =
= IMAGEM BOCA A BOCA, É SEMPRE AQUELA QUE TEM QUALIDADE =


__________________________________________________________

HÃ? O meu telefone só pagam se eu atender.
1 - 2 - É PAGO E NÃO SE FALA - (QUALIDADE)

__________________________________________________________


Este final deixa muitas dúvidas. Em primeiro lugar, a enigmática frase "IMAGEM BOCA A BOCA, É SEMPRE AQUELA QUE TEM QUALIDADE", apesar de assertiva, deixa espaço à imaginação, e essa imaginação pode até meter a Pamela Anderson ao barulho, o que é sempre bom.
Depois a confirmação junto do leitor com um
"HÃ? O meu telefone só pagam se eu atender.", só para ter a certeza de que ele ouviu, deixa-nos literalmente encostados à parede sob ameaça de sermos trespassados por uma sólida estupidez.

E o sublime "grand finale" 1 - 2 - É PAGO E NÃO SE FALA -

Ao qual se acrescenta um derradeiro:

(QUALIDADE)


- É um artista português. E não deixa o seu conterrâneo Bocage nada mal visto.

.

Tascabubadeira?


Acabei de receber informações altamente perigosas, que colocam em causa o bem amado mundo da bubadeira low cost. A revista Time Out desta semana faz capa com o artigo "As melhores tascas de Lisboa: descubra connosco as 20 capelinhas mais castiças de Lisboa".

Vou comprar a revista. Só para ter a certeza de que não descobriram a tasca onde a travessa gigante de batata frita caseira é a 1 euro.

Tenho que manter os meus conhecimentos ultra-secretos, para evitar o risco de uma inflacção de preços que poderiam abalar as principais bolsas de valores "Caracol Jones", "Imperial Next" e "Nasdak de Torresmo", provocando assim uma crise à escala regional.

...Também é verdade, no entanto, que a divulgação do meu precioso conhecimento e consequente inflacção, evitaria no futuro algumas crises de fígado. Mas isso aguenta-se.

Borboleta, fico-te a dever uma mine.
.

2009-05-15

P.S.: I hate you


Chego de manhã ao escritório, ligo o rádio para ouvir qualquer coisa enquanto o computador não inicia, e ouve-se mais ou menos isto:

MMMMMMNHIÊ RNHAUHG SHUAAAAAAAA!!!! MMMMMMNHIÊ RNHAUHG NHUÁÁÁÁÁÁ!!!

O que me fez pensar: "Ou estão a estrangular pequenos extra-terrestres ou isto é AC-DC..."

Era AC-DC. E eu sei de quem é a culpa. Em primeiro lugar é dos AC-DC, que lançaram um álbum novo e em segundo lugar é daquele cromo ali em cima, de seu nome Jorge Botas, que faz questão em incluir os AC-DC em toda e qualquer conversa. E de existir.

É um gajo que faz questão de existir, e na minha modesta opinião, ele podia existir menos.

.

2009-05-08

i-Tourada


Esta semana tiveram lugar manifestações a favor e contra as touradas, em frente à Praça de Touros do Campo Pequeno (ou Campo Piqueno, como lhe chamam algumas aficcionadas de Cascais), com betos e campinos de um lado e meninos mui civilizados de outro.

A minha opinião em relação a estas e às outras touradas é no fundo uma não-opinião, ou seja, qualquer coisa entre o "dá-me pena" e o "mas tou-me a cagar". Por um lado, porque respeito os animais e sou contra o sofrimento que lhes é imputado; por outro, porque não acho que seja assim uma barbárie tão desumana que deva ser proibida para todo o sempre. E porque gosto que os betos andem bem-dispostinhos lá a fazer as coisas que eles fazem. E porque aceito a tourada como uma manifestação cultural, e coiso, se bem que o que eu gosto mesmo é de ver pessoas a levar marradas daquelas ali em cima. Eles dizem que dói e que não gostam, mas não explicam o porquê das calças de lycra e isso para mim será sempre um mistério...

Mas o que interessa é que eu tenho uma solução: Touros Digitais.

Arranjavam-se hologramas digitais de touros e mandava-se o Bastinhas espetar bandarilhas como naqueles jogos da Wii. Não é genial? Não só não se perdia a tradição, como se inovava. Mas como no fundo sou uma pessoa conservadora, defendo que as marradas deviam continuar a existir, bem reais, podendo para o efeito ser usada uma retroscavadora adaptada ou mesmo uma Famel.

O Futuro está nas Ganadaria Digitais, meus amiguinhos. Ouçam o que vos digo.

.

Depois das 24 Horas


O jornal diário 24 Horas publicou uma notícia sobre o incómodo que causou a festa de aniversário do Amo-te Chiado, de Pedro Miguel Ramos. Nada de especial, não fosse o 5.º comentário à notícia, pelo leitor que assina como "Zé". Não percam:

Aqui.

.

Não mexe.


Todos nós passamos diariamente pelos cromos que se tornam habituais, e alguns são parte da paisagem cultural de uma zona ou de um bairro.

Passo umas quatro vezes por dia por um arrumador de carros que exerce ali num cruzamento ao pé da Portugália, um homem na casa dos 50 com a dignidade de um construtor civil, e exactamente com a mesma prepotência. Fez da paragem do autocarro o seu cacifo pessoal, arrumando os seus bens num cabide que instalou para o efeito, ao qual acoplou uma placa com a seguinte mensagem: "NÃO MEXE."

Esta assertividade que intimida é coisa para me fascinar renovadamente de cada vez que lá passo. Ontem ia de mota a passar esse cruzamento quando um automobilista por pouco não abalroa um gajo de mota e se prepara depois para se atravessar à minha frente, sem contar com o poder demolidor da minha buzina (que parece a de um táxi), completamente desfasada da mini-mota que conduzo. O gajo trava e eu passo, não sem levar um olhar terno e um acenar de cabeça positivo por parte do NÃO MEXE. .

Já mandei fazer o autocolante para meter na mota:

"Aprovado pelo NÃO MEXE."

.

2009-05-07

Codex Gigas



Impressionante como neste blog se passa da gaja boa toda nua para um códice velho e amaldiçoado, não é?

O Códice Giga, Codex Gigas ou Giga Codex e não "Giga Codec" como sugere o Google, é definitivamente o mais impressionante códice da História. Escrito no início do século XIII no mosteiro beneditino de Podlažice na Suécia, reza a lenda que terá nascido de um pacto entre um monge condenado à morte e o próprio diabo. Tudo porque tem uma imagem única do shôtor mafarrico, que podem ver ali em cima.

As verdades por detrás da lenda não deixam no entanto de ter o seu quê de macabro:

- Coloca, ao lado do Velho e do Novo Testamento, fórmulas encantatórias, sortilégios, imagens satânicas e feitiços demoníacos;
- Inclui fórmulas médicas e místicas para inúmeras situações, desde de tratar doenças infecciosas até como encontrar um ladrão;
- Terão sido sacrificados cerca de 160 animais para obter os 75Kg de pele de que é feito o códice;

Podem ver o documentário hoje pelas 22.30h no National Geographic Channel ou consultar a digitalização do códice aqui.

E agora digam lá, isto foi ou não foi um mega turn-off?

.

2009-05-06

Trabalho Académico


É possível que eu tenha andado a pesquisar por essa Internet fora sobre a senhora minha colega (tem o mesmo curso que eu) que fez capa na Playboy. É possível até que tenha encontrado um site com as fotos da senhora, com os seus 44 anos todos desnudos. É até provável que, no seguimento disto, tenha também procurado averiguar a qualidade fotográfica do trabalho feito com a outra moça, de seu nome Mónica Sofia. Isto tudo para dizer que me apareceu nesse blog (sim, existem efectivamente pessoas que passam o tempo a digitalizar gajas) o seguinte:

Estes maravilhosos pop-ups armados em mensagens do msn apareciam no canto inferior direito para meu gáudio. É possível que tenha aberto a página algumas vezes, só para ter direito a vários pop-ups diferentes. É possível...

.

Fiat na Virgem


Ok... Podem-me dizer que é ao contrário. Ou que nem isso, porque pelo ar da moça, ela já nasceu sem os 3... Mas estarão apenas a ser chatos e inconvenientes, porque não é sobre isso que aqui venho escrever.

Venho dizer-vos que:

A tre-u-ze de Maio
Na Có-vadiria
Apar-ceu brilhando
A Vir-Gem Maria


Ah pois é, bébé. Já há fiéis a dar à chinela direitos a Fátima. Fiéis, não, Peregrinos. Sim, que eu já fui ao estrangeiro e sei bem que uma pessoa que deixa o cônjuge sozinho em casa para ir a uma tal de Fátima, não vê na infidelidade um pecado mortal. Ou porque é que acham que ninguém quer levar o carro e vai toda a gente a pé...? - Para não haver tickets das portagens ou possíveis multas de estacionamento e sobretudo para não serem filmados nas câmaras de vigilância.

Por exemplo, lá em Paris da França é tudo a deixar o carro em casa e a dizer "ah e tal, vou a Lurdes, môr, já volto, e coiso."

Os amaricanos chamam-lhe White Lies. Vejam ao ponto a que isto chegou... Até vestiram a Nossa Senhora de branco, só pra disfarçar.
Os pulhas.

Isto tudo era mesmo só para dizer que a RTP fez uma entrevista a alguns dos peregrinos que já vão a fermentar bolhas nos pés a caminho de Fátima, para averiguar se existe entre eles o medo de o vírus H1N1 se espalhar naquela enorme concentração de indivíduos e indivíduas. A resposta unânime é a de que acreditam que Nossa Senhora os protegerá, Graças a Deus.

Ora uma bacana que tem por hobby subir a azinheiras com um fato fluorescente e enganar putos com historietas sobre a Guerra e sobre o Papa que ainda não o é mas que há-de ser e que depois alguém vai querer que ele deixe de ser, servindo-se para o efeito de um grandessíssimo balázio...

...Não é pessoa em quem o pessoal se deva fiar.

Muito obrigado pela atenção, Graças a Deus.

.

You sexy nasty building...


A realizadora A. Piotrowska apresentou recentemente o seu último documentário, com o sugestivo nome "Mulheres Objectófilas".
- Em que consiste a Objectofilia? Isso mesmo: atracção sexual e sentimental por objectos. Das cerca de 40 mulheres assumidamente objectófilas da sociedade ocidental, Piotrowska entrevistou 14 e obteve imagens impressionantes, segundo o que relatou na entrevista por email que fez à revista "Sábado".

Naisho, uma ex-atleta de tiro com arco que agora trabalha na equipa que representa o seu país (E.U.A.) naquela modalidade, tem uma relação apaixonada e duradoura com... A Torre Eiffel. No documentário ela fala sobre o casamento entre ambos, que efectivamente teve lugar há uns anos atrás. Em Paris, uma vez que parece a Torre disse "ah, e tal, não me dá muito jeito sair daqui" e ela lá fez o esforço e casaram à beira do Sena.

Casou-se com a Torre Eiffel, porque sentiu que a torre a chamava, que ela «se sentia tão sozinha como Naisho, apesar do número de turistas que a visitam todos os dias.»
No documentário está gravada uma cena íntima entre Naisho e a Torre Eiffel.

Mas desengane-se quem acha que a fidelidade é uma característica das relações entre mulheres e objectos. Naisho confessa que já teve relações com vários edifícios.
«Presentemente está muito apaixonda pela ponte Golden Gate e pelo Muro de Berlim.»
E nunca foi à Alemanha. Ainda assim, faz sexo com o Muro, imaginando-o mentalmente.

Quanto a esta promiscuidade, a realizadora afirma que ela «Apaixona-se frequentemente por vedações e pontes. Mas o seu principal compromisso é com a Torre Eiffel.»

Menos mental é a relação de outra das objectófilas filmadas, que está loucamente apaixonada por um carrossel de feira, com o qual manteve uma relação sexual filmada no documentário, que acaba com o respectivo esfreganço de óleo na cara.

Leiam a "Sábado", que vale a pena. Só por esta entrevista, claro. Depois leiam a Gina, que tem artigos mais interessantes no que respeita a sexo com coisas.

.

2009-05-04

Ó Tó... Medicação...


Dizem que a Internet e as séries sobre hospitais são a principal causa do enorme surto de auto-medicação que actualmente se verifica e que diariamente coloca muita gente em risco de vida e uns quantos em risco de morte.

Não concordo.

Agora não vou explicar porquê, uma vez que acabou de chegar o meu colega e vou-lhe pedir para me fazer uma punção lombar com uma Bic escrita fina, a ver se me passa esta dor de cabeça.

.

No, you Sharap




Ouvi agora na rádio que a Michelle Brito é a Sharapova portuguesa. Fui procurar imagens ao google e fiquei na dúvida se não é Sharapova a Michelle Brito russa.

Mas depois vi melhor e eles têm razão.

.

Diz que este post não tem post, só tem comentários. Ou nem isso.