2007-03-13

Vergonha Alheia

Já todos a sentimos, mesmo que à primeira vista não seja imediato o significado da expressão. A "Vergonha Alheia" é um arrepio, um constrangimento que sentimos ao presenciar uma situação incómoda que acontece a alguém que não nós próprios.

Um bom exemplo são aqueles segundos iniciais dos jornais televisivos, entre o ligar da câmara, do som... e do pivot! Sim, porque parece-me que há alguém responsável por ligar os apresentadores dos telejornais no modo pivot, sempre que começa o serviço, e às vezes só os ligam bastante depois de a emissão ter começado.

Na semana passada, o pivot da SIC perguntava insistentemente para a câmara "A gravata tá direita?... A gravata tá direita?... Epá, a gravata tá direita ou não?" - e eu - sentado à mesa - fiquei com a colher da sopa entre o prato e a boca durante aqueles 10 segundos. Senti aquela vergonha que ao mesmo tempo é puro gozo, uma mistura de "eh pá, que mau..." com "adoro isto!"

Há uns dois ou três dias foi uma pivot da RTP que - entre uma peça e outra - me fica a fitar durante uns bons 20 segundos, à espera que alguém se digne a colocar aquilo no ar. É incrível a sensação que se tem, quase de pânico, a pensar "alguém ajude a mulher, não vêem que está à rasquinha?!" - Ela bem olhava para todo o lado e gaguejava umas sílabas: "aaaahhh... bem...aaahh.... eeeerrrr...."

Terrível.

O mesmo se passa por exemplo com aquela situação típica do "pisar-o-cagalhão-e-ser-o-único-a-não-dar-por-isso", em que notamos que toda a gente reparou menos a pessoa do passo certeiro... Apetece avisar, mas a verdade é que na maior parte das vezes ninguém o faz...

Fica tudo a experienciar a vergonha alheia, essa tosta mista de incómodo e comédia.

4 comentários:

vinte e dois disse...

Recordei com saudades num post anterior teu as motorizadas da minha adolescência ;)
Vergonhas alheia:
Apesar de não ser comigo, sinto um certo embaraço quando por exemplo numa área comercial, na caixa, um cliente à minha frente que tenta pagar as compras com o cartão Multibanco recebe uma resposta da operadora do género: o seu cartão foi desactivado ou acusa não ter saldo. Sinto-me constrangido pela própria pessoa.

a gaija trendy disse...

Quando algumas pessoas (principalmente as mulheres) andam "desalinhadas"...Por exemplo, com o fecho da saia aberto e vê-se as cuecas, ou com um botão a mais desabotoado e vê-se o soutien, coisas do género...O constrangimento pode ainsa ser maior se a lingerie estiver rasgada ou larga, ou velha...
Sinto um embaraço, mas nem sempre tenho coragem de alertar a pessoa...

Deusa do Caramelo disse...

É sempre um momento National Geographic quando os senhores sofrem de comichão repentina nas partes fodengas. Pessoalmente, faz-me confusão coçarem-se assim, à descarada e depois não consigo parar de olhar. Às tantas, já o senhor está embaraçado e super interessado no clima ou no jornal ou whateva. A mim só me dá vontade de dizer: Senhor, não se acanhe por minha causa...LOL

João Castanhinha disse...

(o outro)- Olá, como estás?
(eu)- Desculpe, conheço-o? (outro)-ahh...humm....desculpe...mas voçê é igualzinho.....sou eu, o Chico!
(eu)- Pois, se calhar sou igual a alguem, mas não o conheço...
(outro/Chico)- Tens a certeza?
(eu) - Tenho!
(outro/Chico) - Então está bem, confundi-o com outra pessoa...

E afasta-se de trombas, plenamente convencido que o outro seu amigo (eu) por alguma razão não lhe quis falar.