2009-06-01

A porrada é como as cerejas


Dediquei o fim de semana que passou a uma actividade que muito significa para mim: roubar fruta. Quando era pequeno tomava de assalto um morangal que havia perto da minha casa. Eu e mais uns amigos do alheio passámos dois Verões inteirinhos a lanchar morangos, até sermos apanhados e confessarmos tudo: "nós costumamos descer pelo seu morangal de bicicleta e ainda ontem apanhámos os gajos aqui a roubar..." e o homem até agradeceu o facto de nós os termos apedrejado, "porque isto é só ladroagem e já me comeram metade do morangal".

Mas o requinte na arte de roubar fruta desenvolveu-se com a aquisição de automóveis, que nos levam para pomares longínquos, neste caso na serra da Gardunha. Henry Ford nunca sonhou que a sua invenção haveria um dia de servir para roubar tantos quilos de cerejas. Depois do gamanço, deu a sede e fomos à fonte do largo principal de uma aldeia. O carro parado ao lado da fonte impediu por momentos a passagem, e um carro que vinha de frente foi obrigado a parar no meio do largo. Assim que o fez, pára o funeral que ia a saír da igreja e vêm meia dúzia de gajos abrir-lhe a porta e começam a oferecer-lhe fruta. Fruta da grossa: pêros nos dentes vi eu oferecerem-lhe uns 20 ou 30. Ao condutor e à mulher, que entretanto tinha sacado do sapato de salto alto para dar nos distribuidores de fruta, o que foi um erro crasso, visto que além de levar também ela uma peça de fruta, ficou sem o sapato.

Assim que acaba o espancamento, vem um dos gajos na minha direcção, passa ao meu lado na boa, entra no café e diz "Chama aí a polícia, que eu pago."

E eu a pensar "Mas pagas o quê? Os dentes ao homem?". Durante este pensamento, devo ter feito uma cara tão estranha, que ele sentiu necessidade de se explicar e diz-me:

"O homem queria que o funeral parasse, para ele passar de carro. A gente disse para ele recuar, para passarmos, e ele começa a fazer sinais de luzes e fez-nos assim com o dedo. Agora meta-o no cú!"

- Ele fez isso?

"Fez. Agora meta-o no cú."

Depois disto fiquei a saber que a localidade tem um longo histórico de dar porrada aos visitantes mal intencionados. Disse o filho do presidente da junta (sim, porque apareceu a aldeia em peso, padre incluído): "Isto agora está melhor. Antigamente tocava-se o sino da igreja e vinha a malta toda espancar os gajos."

E eu "Ah bom, ainda bem que agora é tudo mais pacífico..."

Alcongosta: boa cereja e porrada com fartura.
Ainda bem que eu gamei as cerejas noutra freguesia.

.

13 comentários:

PWFH disse...

Gosto muito de mandar uns tiros de caçadeira para o ar (o ar que circula o corpo humano) quando vejo pessoal a querer roubar fruta ou a cortar pinheiros no Natal. Tou a ver que és uns desses, ficam lindos a correr! Se quiseres mando-te um desenho de como chegares à minha quinta, é que ando com falta de human targets (já lá vão uns meses valentes desde que não solto os cães e mando umas cartuchadas valentes!

Até um dia destes!

AD disse...

E assim descobrimos que o PWFH é o Mr. Burns. "Release the hounds! Excelent..."

PWFH disse...

Enquanto esfrego as mãozinhas!

A disse...

já ouvi falar de toques de sino para quando alguém morre, para quando alguém casa. agora para quando é preciso juntar o pessoal para andar à porrada, acho que é a primeira vez. suponho que seja parecido com toque para as festas da nossa senhora das dores.

AD disse...

Mas repara, se a porrada for bem afinfada até pode haver mortos.

Paula disse...

Ah... O nosso belo Portugal desconhecido...
Alcongosta. Mais um paraíso a descobrir. Se se gosta de pancadaria e de cerejas.
Eu, como só gosto de cerejas, acho que me fico pelo mercado cá da zona...
:)

Alexandra disse...

Ahahahah!

Aqui há uns bons anos, na Lousã, o meu irmão e os colegas foram perseguidos por um maluquinho de mota e caçadeira em punho (e aos tiros) porque pensou que atravessaram o campo para andar à chinchada. Estavam numa prova de orientação...

Por outro lado, a equipa vencedora (a minha, está claro), já havia passado por lá uma meia hora antes e enchido as mochilas de pêssegos.

tiagugrilu disse...

Pwfh,

Isso tudo foi para dizer que tens uma quinta, não foi?

PWFH disse...

Não, foi para dizer que tenhum uma caçadeira!

Wolfhearted disse...

Voltavas a piar fininho, ah pois era!

tiagugrilu disse...

Já fui perseguido por maricas como tu, com uma caçadeira, por causa de meia dúzia de laranjas.

Bem que se fodeu, que eu voltei lá quando ele estava a ver o Big Show Sic e virei-lhe a horta toda ao contrário.

tiagugrilu disse...

O maricas era o Pwfh, passe o pleonasmo.

tiagugrilu disse...

(e falta ali "Um", que eu não fui perseguido por vários maricas, foi só um)

- Agora que penso nisso, aqui em lisboa sou perseguido por maricas, sem "Um".