2010-02-05

O Prédio do Vasco


Esta madrugada foi descoberta a base da ETA em Portugal. No interior de uma vivenda em Óbidos funcionava uma autêntica fábrica de explosivos. Permanece ainda um mistério o facto de não terem recentemente efectuado qualquer atentado, mas sabe-se no entanto que foram encontrados no local 3 barris cheios de explosivos líquidos e 5 barris de ginjinha já vazios.

Populares relatam que a única coisa suspeita que ouviam eram estranhos cânticos terroristas durante a noite:

"Cucurucucucu... Paloma...
Cucurucucuuuuu, no llores..."

e

"Dale a tu cuerpo alegria Macarena
Que tu cuerpo es pa'darle alegria cosa buena"

- Acompanhados de uma ou outra bonita sessão de fogo de artifício.

.

12 comentários:

Vani disse...

Obrigada por me pores a dançar a macarena no meio da cozinha.

Vani disse...

« Segundo a página digital do diário espanhol El Pais, "a Guarda Nacional Republicana (GNR) descobriu a base que a ETA tentou instalar em Portugal, numa casa rural, em Óbidos" »

Portanto, que a ETA TENTOU instalar. Está explicado o porque de não haver ainda foguetes.

tiagugrilu disse...

Tu bebes ginjinha à refeição, não bebes?

Vani disse...

Ainda não refeicionei...

tiagugrilu disse...

Eles não tentaram, conseguiram mesmo. E tinham lá explosivos suficientes para fazer uma vaca de fogo do tamanho dos Jerónimos.

anatcat disse...

Acho que esse terroristas eram muito sui generis, mas pelo que descreves até parecem fixes.

Vani disse...

Pfff sempre os mesmos media a tentarem tapar o sol com a peneira. Conheci um gajo que dizia ser etarra. É porque não devia ser, mesmo...

Vani disse...

Mas os explosivos podiam ser para aquecer a sopa de peixe...

grassa disse...

5 barris de ginjinha já vazios?

Criminosos!!!

tiagugrilu disse...

E xenófobos, diria até.

A disse...

então era isso que os bascos queriam, fazer uma vaca de fogo! tens a certeza que não seria antes uma queima do judas? é que é por esta altura e tudo.

tiagugrilu disse...

Man, vocês lá em Fajozes queimam mesmo tudo...!

Só estão bem é a arrebentar.