2010-12-07

Toca-me a Zamburra e chama-me Zé Alves



"E faziam as brincadeiras e tocavam as zamburras quando já estavam bêbados"

Quem diz que os nossos bisavós não se divertiam está muito enganado. Quem diz que eles batiam pívias nas tabernas, já pode estar um bocadinho mais certo.

Gosto especialmente do facto de cada uma das senhoras tocar a zamburra de forma diferente. A da esquerda, mais maluca, tem um sorrisinho maroto que tenta disfarçar. A outra, mais séria, vê-se que gosta mas tenta dar um ar de quem faz aquilo contrariada.

Não percam o grande final, com uma bonita orgia de zamburras.

.

28 comentários:

  1. eu nunca experimentei tocar a sarronca, mas de certeza que sou um grande virtuoso do instrumento!

    ResponderEliminar
  2. É como nunca teres andado num carro de rally, mas saberes que és bom nisso por causa das horas que passaste a jogar Sega Rally!

    ResponderEliminar
  3. exactamente!! :D

    ResponderEliminar
  4. o pormenor de cuspir na mão.... ahahahahahahahahahah isto é demasiado bom!

    ResponderEliminar
  5. Tu cospes na mão para jogar Sega Rally? Nunca mais jogo Playstation contigo.

    ResponderEliminar
  6. Uma sessão geleia (Jam Session) de Zamborra e Zamburra solo!

    ResponderEliminar
  7. sim, mas só quando jogo sozinho. quando jogo acompanhado conto que o outro cuspa.

    uma dúvida: será que o pau da zamburra tradicional é de pessegueiro? por favor, que seja!

    ResponderEliminar
  8. A Zamburra não é percussionado, nem dedilhado, é mais assim para o punhetado.

    ResponderEliminar
  9. "Os esgalhadores do pessegueiro de Elvas"

    Eu vou!

    ResponderEliminar
  10. No Balázios "A Tríade do Xilofone", que tem um pouco a ver com que aqui se passou!

    ResponderEliminar
  11. Uma data de bêbados a tocarem um instrumento perigosíssimo. Devem ter todos pelo menos um olho furado.
    Vá, dois.

    ResponderEliminar
  12. ah ah ah ah ah ah ah ah
    as mulheres deram-lhe um toque mais clean.

    ResponderEliminar
  13. Ah, ah, ah, ah!!!!!


    Isto sou eu a rir mesmo sem ter visto o video... Até posso, mas escolho não o fazer. Há que manter a compostura em níveis aceitáveis.

    ResponderEliminar
  14. AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH




    (OK, pronto, não resisti, e perdi a compostura)


    Que destreza no manejo da Zamburra, pá!

    ResponderEliminar
  15. Giro, giro...era tocarem nas Zamburras umas das outras...isso sim...até o Grassa arranjava maneira de ver o vídeo lol ;).

    ResponderEliminar
  16. MEDO!
    Era gajo para não querer ver a Zamburra da senhora, deve ter matagal de zebreira à volta.

    ResponderEliminar
  17. Não sei o que é pior...se é ver a Zamburra à Senhora, se é vê-la tocar ao instrumento...

    ResponderEliminar
  18. Sim, é uma coisa estranha.

    Mais estranho ainda é que a zamburra que existe na zona de Abrantes é depilada e chama-se "ronca".

    ResponderEliminar
  19. Coloquem ali o vídeo aos 3'20''

    Adoro o toque feminino no manejo da zamburra em vez de cuspirem para a mão, usam uma esponjinha
    que é mais higiénico.

    ResponderEliminar
  20. ...também podiam usar dystron toalhetes.

    ResponderEliminar
  21. Por falar nisso, lanço daqui um repto sério aos senhores (e às senhoras)da Dystron no sentido de desenvolverem um novo produto: Dystron Babetes.

    ResponderEliminar
  22. ... é que nem sei que dizer.

    Se calhar, vou manter o silêncio, e manter-me na ignorância que trago do vídeo abaixo deste.

    ResponderEliminar
  23. O video abaixo deste
    é lindo. Mas o vídeo acima do vídeo abaixo deste é uma pérola.

    ResponderEliminar
  24. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH

    ENSURDECESTE-ME CARAGO!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  25. LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

    As pérolas, mio dios, as pérolas que eu mais adorava...

    ResponderEliminar
  26. cais eram?


    *em calhando, ali com aqueles trocadalhos, enganei-me. Ou não?

    ResponderEliminar
  27. são praticamente todas as que esta maltinha fixe com a mania que é má (e com a mania que testar-nos a paciência tb é uma coisa fixe) vai colocando aqui. As pérolas, digo.

    ResponderEliminar