2011-05-09

Alcoolímetro


Ando há uns tempos a pensar em comprar um alcoolímetro para ter no carro. São 40 euros, mas as multas por conduzir com os copos são muito mais caras, já para não falar dos possíveis acidentes. Como vêm, sou um bêbado, mas um bêbado com consciência social.

Se tivesse uma maquineta daquelas, antes de conduzir soprava sempre no balão. É claro que serviria apenas para ter a certeza de que estava realmente alcoolizado e seguir caminho por estradas onde não haja "paragens stop" (como disse um dia um gajo que afirmava não estar bêbado após meia garrafa de whisky velho), porque muito provavelmente a minha companhia estaria também bastante embriagada.

Gostava de ter um daqueles que há em alguns restaurantes, que além de dizerem os gramas de álcool por litro de sangue, mandam um bitáite.

Há já bastantes anos, num restaurante na Mealhada, numa competição de bêbados a soprar numa dessas máquinas (parecidas com máquinas dispensadoras de tabaco), presenciei a meritosa vitória de um primo meu, esse momento de eterna glória e fama, quando após ter bufado para o canudinho, a máquina lhe disse:

"NÃO SEI COMO SE AGUENTA EM PÉ".

Special thanks to Mênuno

27 comentários:

  1. Isso é que é vontade de soprar nalguma coisa, hã?

    ResponderEliminar
  2. se desse "você está clinicamente morto" é que era de homem.

    ResponderEliminar
  3. Epá, pois era... Seria feliz.

    Sabes que no Norte do país foi apanhado um homem a conduzir uma mota com uma taxa de álcool por litro superior à mortal?

    - Aquilo é que é uma mota ensinada...

    ResponderEliminar
  4. é o meu novo herói!

    ResponderEliminar
  5. Tenho mesmo que comprar o alcoolímetro para passar as noites de 6.ª feira a trabalhar para bater o record de 7.46 g/litro.

    ResponderEliminar
  6. boa tiagu! é bom voltar a ter uma nova meta nesta vida desprovida de interesse.

    ResponderEliminar
  7. Sim. Hei-de ser bom a alguma coisa.

    - Desconfio que o senhor António Manuel Freitas Nogueira, natural da freguesia de Estorãos, concelho de Fafe pensava como eu...

    ResponderEliminar
  8. Ora aqui está uma maquineta onde eu não gastaria dinheiro! Não consigo perceber qual a vantagem disto se uma patrulha da Guarda nos pode dizer imediatamente (entenda-se após uma baforada) se estamos ou não alcoolizados. Além de que ser mandado parar pela Guarda tem a vantagem adicional de não sabermos se vamos voltar para casa ou como é que vamos voltar para casa.

    E, na eventualidade da patrulha nos impedir de conduzir e termos um histórico de multas por excesso de velocidade, temos ainda o gozo adicional de ter de passar pelo Governo Civil de Beja, arranjar justificações do patrão e de clientes, para não ficarmos com a carta cassada durante um ano, além de termos de deixar 500 Euros de caução de bom comportamento durante um ano, e... e...






    Peço desculpa... Continuem, continuem...

    ResponderEliminar
  9. Ahahahahah!

    Isso é tudo um supônhamos, não é?

    - Vá, conta lá, quanto é que acusaste?

    ResponderEliminar
  10. Suponhamos que foi 0,72...

    Estava a sair do Sudoeste às tantas da manhã...

    Os Chemical Brothers tinham acabado de tocar e os gajos são muita chatos...

    Houve gente que adormeceu no concerto, imagina!

    ResponderEliminar
  11. tu e a gata não deviam ir a concertos.

    ResponderEliminar
  12. Eu estava nesse concerto, pá.

    Que cena, para a próxima fazes como eu e assim que te sentires muito bêbado, pegas no carro e vais para casa.

    ResponderEliminar
  13. Que fique aqui registado que sim, eu estava nesse concerto e sim, os CB proporcionaram-me uma bela soneca, mas não fui cúmplice do crime cometido pelo Jack!

    ResponderEliminar
  14. Fogo... Dormir num concerto daqueles...

    - Tens mesmo que mudar de dealer.

    ResponderEliminar
  15. Gata,
    Só é crime a partir de 1,2 e só se formos apanhados.

    ResponderEliminar
  16. Exacto. Eu tenho a sensação que já conduzi com mais de 1,2.

    Mas de mota, com o vento fresquinho a bater na cara, que eu não sou nenhum inconsciente.

    ResponderEliminar
  17. Já tivémos esta conversa, Grilu, e chegámos à conclusão de que o concerto a que eu fui não foi o mesmo a que tu foste.
    Mas mesmo que tivesse sido, iria adormecer também.
    É, aliás, o que pretendo fazer no próximo dia 8 de Julho, para ganhar forças para ver bandas a sério!

    ResponderEliminar
  18. Olha que o recinto do Alive é de terra batida e tem muitas pedras. Leva um colchão insuflável...

    ResponderEliminar
  19. Ah, pois foi. Então isso quer dizer que eu só não fui mandado parar porque não fui no mesmo ano que vocês.

    - Eheh..

    ResponderEliminar
  20. Epá, em relação ao Alive...

    Não percebo como é que deixam os 30 Seconds To Mars pisar o mesmo palco que os The Chemical Brothers...

    Sei no entanto de alguém que não partilha da minha opinião.

    ResponderEliminar
  21. Eu partilho da tua opinião e também não acho justo que alguém que queira ver Blondie tenha que mamar (in a manner of speaking) com os Coldplay...

    ResponderEliminar
  22. No palco Super Bock tens Patrick Wolf, James Blake e Anna Calvi, no dia 6. Compensa claramente o risco de ter de gramar com os Coldplay ali ao lado!

    ResponderEliminar
  23. Ehhh... Nah.
    É melhor jogar pelo seguro.

    ResponderEliminar
  24. Porque é que estão duas velhas mamalhudas a dançar no meu Youtube?

    ResponderEliminar
  25. Felizmente eu não posso/ consigo ver videos...

    ResponderEliminar