2008-07-30

Tiroteio em Abrançalha


Já todos devem ter ouvido falar do tiroteio entre o Grupo de Operações Especiais da PSP e um dos 5 malucos da Abrançalha que gamaram uma shotgun à própria polícia, no Entroncamento. Como cresci na zona de Abrantes, achei que me cabia a mim a difícil tarefa de explicar exactamente o que aconteceu. Cá vai:

Primeiro é necessário contextualizar a acção no espaço: Inicia-se no Entroncamento, a única cidade digna do fenómeno de alguém se lembrar de partir a boca a dois bófias e depois fugir com a espingardona deles. Até aqui, nada de anormal. Depois fez-se luz na cabeça dos gajos (ou acabou o efeito das minis) e perceberam que iam ter toda a polícia da zona em cima deles, e deitaram a arma para um campo de milho em Vila Nova da Barquinha, já a caminho da Abrançalha, essa bela localidade.

Isto no dia D. No dia D+1, vem o experiente e temível Grupo de Operações Especiais da PSP, que opta pela já conhecida táctica de entrar à maluca em casa dos "talibãs" (como são conhecidos na zona), a mandar bojardas em todas as direcções, até que um se lembra de acertar no cú do colega, tendo a bala entrado por uma nádega, perfurado a bexiga e saído pela outra nádega:

PAM! PAM!
"Ó Aires!" PAM!
"Aires! Dispara ali na direcção do tanque de lavar a roupa!" PAM!
PAM! PAM!
"Afirmativo, chefe! Desvia-te daí, ó Cardoso"
PAM"!
"Eeeeh lááá..."
"Desculpa aí ó Cardoso...!"
"Xiii... Foi mesmo nas nalgas! Eheh... Desculpa aí, Cardoso a sério..."


...E o "barricado" nem sequer tinha arma. Barricado pode mesmo ser sem aspas, porque muito provavelmente tinha estado a beber da barrica. Sim porque os "talibãs" da Abrançalha, tal como os "capacetes azuis" das Mouriscas, gostam mesmo é de vinho e de porrada, de preferência em simultâneo. Já os GOE, apreciam mandar tiros avulsos, mesmo que do outro lado não venha nenhum em resposta.

Depois há o dialecto abrançalhês, muito mais complexo do que o mirandês e ainda pouco estudado. A sorte é que houve alguém que conseguiu traduzir aquilo - que para vocês pode ser incompreensível - e colocou legendas. Senão não se perceberia mesmo nada, tal é a riqueza do discurso e as diferenças dialectais. O link da RTP já não está disponível, mas aqui ficam algumas das frases:

"Começarrrem aos tirrros..."
"E eu disse: "deixa tarrr-te aqui Brrruno..."
"Entrrrarrrem ós tirrros à minha irrrmã!!!"

Ai... Que saudades do ar puro de Abrantes e dos tiroteios ao cair da tarde...

.

3 comentários:

Cidadão abt disse...

o cidadaoabt chorou de tanto rir com este assunto, a boa disposição como foi apresentado,vale pela sátira de um bom blogger, embora discorde do ponto de vista do grilus falantis no que concerne á actuação policial, o que revela um sentimento algo...anti-bófia...isto até ao dia em que precisar realmente deles...e aí, ficar-lhes-á eternamente agradecido!O cidadaoabt no entanto, faz votos que o grilus falantis nunca tenha essa necessidade. Mais uma vez, parabéns no entanto pelo óptimo estado de espírito. porque este pessoal precisa de pessoas assim,pois ando para aí tudo a ver a vida muito pró cinzentão! Já agora, se me dá licença vou acrescentar o seu blog de boa disposição á coluna da minha lista de blogs preferidos! O meu é: ocidadaoabt.blogspot.com

tiagugrilu disse...

O cidadaoabt é sempre bem vindo.

O cidadaoabt joga no Abrantes Futebol Clube? - É que a falar na 3.ª pessoa, ou o cidadaoabt é jogador de futebol, ou é procurador geral da república...!

Abraço.

João Castanhinha disse...

ou então é o Miguel Veloso:)