2008-10-28

Drugs don't work

Espero que tenham visto recentemente Paula Bobone na televisão. Ela já não batia bem da bola, mas agora dá entrevistas completamente coquinada e veste-se de um modo ainda mais esquisito do que antigamente. Faz com que as seguintes pérolas cristalizem uma Paula Bobone dos bons velhos tempos, quando o cérebro ainda a deixava conjugar algumas palavras:

Se um dia por acaso arrotar acidentalmente à mesa, disfarce. Mas como?, perguntaram-lhe. Olhe, arraste uma cadeira, sei lá...

No Verão existe grande proximidade e promiscuidade física. Já viu o que é ir até à Costa da Caparica e ter de me deitar ao lado de alguém que não conheço de lado nenhum? Como se não bastasse, ainda temos que conviver com aqueles que levam bolas para a praia e com os que passam o tempo a gritar. Em Portugal grita-se muito durante o Verão.

Em miúda, já ouvi piropos na praia, mas nada que me tivesse marcado. Em termos de piropos os portugueses são indelicados, às vezes semi pornográficos.

A maioria dos homens portugueses veste-se mal e ainda exibe o mau gosto. Só uma pequena elite sabe vestir-se.

O terrorismo é equivalente às ratazanas nas nossas casas. Não há nada a fazer.

A praia da Rocha está civilizada. Tem uma coisa que eu odeio, que são os ecopontos, mas isso é mais uma bimbalhada à portuguesa.

A minha ave favorita é a borboleta.


.

4 comentários:

indiavelha disse...

E perdi eu tantos anos à procura de um guru!

tiagugrilu disse...

Não procures mais.

Vem um outro Guro na segunda feira que vem ao casino lisboa e é à borla: o Guru de Jazzmataazz.

Eu estou lá de certezinha.

tiagugrilu disse...

Onde se lê Guro, leia-se Guru. Ou então não.

indiavelha disse...

Talvez lá vá