2009-12-04

Histórias de Encantar - IV



Enquanto vê o rímel preto passar aos poucos do aplicador para as suas longas pestanas que lhe adornam o olho já pintado de verde-petróleo e purpurinas, ela canta baixinho uma das suas músicas preferidas

Não estragues, não estragues
O brinquedo do amor...


Lara-la-na-na-na
Na-na-nananana-na...


Nisto, é interropida por pancadas demasiado fortes na porta da roullote, que acabam por fazer abrir a porta e a deixam exposta perante um tipo de rabo de cavalo e blusão de cabedal.

Eh, ó Tony, vai pó caralho, ó filha da puta... Foda-se...
Ó jóia, não te chateies pá, que foi de sem querer. Mas olha que já marchavas.
És um porco nojento. Queres festa, vai ter com a tua mulher, ó javardo.
Vá lá, princesa... Não te chateies, que eu quero é alegria no trabalho.
Queres alegria mas é no caralho, ó paneleiro. Sai daqui, ó filha da puta.


E ele lá saiu.

Cristina cresceu assim. A atitude, herdou-a da mãe e do ambiente da aldeia onde cresceu, no distrito de Viana do Castelo. O gosto pela música, esse, herdou-o do pai e das noites que passou a ouvi-lo cantar ao desafio na tasca da família, entre o tinto verde e as pataniscas. Foi com ele que aprendeu a tocar acordeão e foi esse o timbre que se ouviu no funeral do senhor Reboredo, depois de ele ter perecido devido a uma espinha de bacalhau. A dona Lúcia nunca mais foi a mesma desde aquele dia, e Cristina começou a dar-se com gente que não interessava a ninguém, acabando por fugir com Rogério, que trabalhava nos carros de choque e conduzia com uma perna de fora enquanto fumava Marlboro 100. Depressa aprendeu a fazer farturas, com a mãe de Rogério. Apanhou-lhe o jeito quando, já farta de explicar, ela lhe disse "ó melher, fazes como se estivesses a cagar e a dar ao cú, catano..."

Foda-se... Foda-se, caralho, pá. Em vez de comprarem material novo, andam aqui com estas merdas que até metem nojo. Foda-se.... Foda-se, caralho. Foda-se...

Qué que foi, Cristina?

Qué que foi o qué que foi? Qué que foi, o caralho, ó filha da puta...

Rogério, que trazia a filha de ambos ao colo, riu-se da irritação de Cristina, deixando ver a baliza que tinha entre o canino e o incisivo. Acendeu um cigarro.

Toma a menina. Mas estragastes essa merda? Sai já daí, pá...
Estraguei o quê? Isto é que não vale nada, são as merdas que o Tony arranja. Esse porco.
Não falas assim do meu tio, cabra de merda. Queres levar nos cornos, queres?
Fazes isso e eu digo à sigurança social que tu me bates e ficas sem o abono...
Ai o caraaaaaaalho...
Sabes o que é que o Tony fez hoje, sabes? Abriu a porta da roulotte sem licença e viu-me quase nua. E tava para lá com merdas.


Rogério parou de tentar arranjar o carrinho das farturas, cuspiu para a mão, apagou o cigarro na poça de saliva e limpou-se às calças enquanto se dirigia a passos largos para a bilheteira do Trem Fantasma. Assim que lá chega, puxa o tio pelos colarinhos e tira-o da bilheteira pela janela fazendo-o cair no chão, e começa a aviar-lhe biqueiradas na boca e nos rins.

Só não o mato, porque o tio sabe que eu gosto de si como a um pai.




Previously, in Histórias de Encantar:

Cap. I
Cap. II
Cap. III

15 comentários:

A disse...

fabuloso! parecem as histórias que o meu pai contava para me adormecer. ai... as memórias.

Nawita disse...

Fantástico! Estou encantada. Vou ler de novo e descobrir os episódios anteriores!

Gata das Botas disse...

O amor é lindo.

tiagugrilu disse...

Sim, esta história prova que o amor pode ser lindo, mesmo sem dentes posteriores.

Bock disse...

Ah, ah, ah!!!!!!


G'anda malha, pá.

tiagugrilu disse...

Eheheh

grassa disse...

Pá, vou imprimir isto para ler em casa.

No WC.

Enquanto estiver a tomar banho.

A disse...

tive a ler as histórias e meu deus! fabuloso.

gosto particularmente da sensação de expectativa, com que ficamos no final de cada história.

tiagugrilu disse...

Ya, e depois não acontece nada, né?

LOL

- Mas isso é porque não me apetece continuar a escrever!

Sílvia Maria disse...

Eh eh!! Fantástica! Espero as cenas do proximo capitulo!.
Sentido de humor excelente! :D

tiagugrilu disse...

Sílvia,

Já só falta um ano ou dois para sair o próximo capítulo!

Sílvia Maria disse...

Demora a carburar...

Sílvia Maria disse...

Demora a carburar...

AD disse...

Espectáculo! Tem tudo o que eu mais gosto: farturas, amor e carrinhos de choque.

Vou ler o resto mas não por ordem, para dar um ar de Pulp Fiction.

tiagugrilu disse...

AD,

Pois, não precisas mesmo de ler por ordem. Podes até ler bocados de um e de outro, que não faz sentido na mesma.

Sílvia,

Pois demora.

Pois demora.