2011-01-24

Votos em branco


O meu candidato, o excelso Dr. Branco teve uns impressionantes 191.167 votos, o que foi mais do que obteve o Tiririca português e muito mais do que teve Defensor de Moura. Coisa que não é lá grande vitória, dado que toda a gente fica à frente dele, mesmo que não concorra. Tenho a forte impressão de que o Malato obteve mais votos, mesmo não figurando na lista.

Também com aquele nome, quem é que lhe dá crédito? Se fosse Defensor de Moura Portalegre Beja Serpa e Bacalhau com Migas ainda era capaz de lá ir, mas assim... tssc, tssc, tssc... E no fim nem deu Cavaco...

Um grande abraço aos 191.166 portugueses que confiam no Dr. Branco. Venceremos!

.

41 comentários:

tiagugrilu disse...

Os votos em branco mais do que triplicaram em relação às presidenciais de 2006.

Se fossem contabilizados, seriam o suficiente para levaram Cavaco Silva à 2.ª volta, coisa que felizmente para os cofres nacionais não aconteceu, mas estes números ilustram bem o descrédito conferido à figura do presidente da república.

Bock disse...

Eu diria mesmo mais: ilustram o descrédito conferido à tal figura (triste), nesta altura do campeonato.

Viva o Dr. Branco!

tiagugrilu disse...

Epá, não percebo uma coisa. Provavelmente por não saber que equação usam para definir as percentagens:

Porque é que 191.167 votos correspondem a 4,26% e 189.351 correspondem a 4,5% ?

Alexandra disse...

Mas não contabilizam para nada e fazendo as contas a coisa deu-se assim:


Abstenção 52,47% + brancos 4,3% + nulos 1.9% = 58,67%, i.e., votaram apenas 41,33% dos eleitores, pelo que o Aníbal foi eleito apenas por 21,88% dos portugueses eleitores...

E quanto a isto só podemos culpar os portugueses. É que, com as devidas excepções, só não vota quem não quer. Pelo que, foi eleito por 53% dos que se interessam...

PWFH disse...

Branco mais branco, não deu.

... e só tenho mais uma coisa a dizer, o Sr. Silva que enfie os votozinhos pela urna acima!

A disse...

estas percentagens são muito esquisitas. somei tudo e deu 106,19%.

continuamos a viver acima das possibilidades, assim não vamos lá.

Bock disse...

AH, AH, AH, AH!!!!!!!

tiagugrilu disse...

Verdade!

Mas a Alexandra já explicou o porquê. Falta acrescentar que houve muito bom português que não voutou porque alguém achou que era boa ideia meter todos os números impressos no Cartão do Cidadão menos o de n.º de eleitor.

O que foi deveras espetacular.

tiagugrilu disse...

Não voutou como em:

Voutei, voutei
Voutei de uá
Ainda ontem estava em Fuança
E agoua já estou cá

Bock disse...

Isso foi uma fétida e putrefacta cavala urdida pelos lóbistas do purzidente para virem agora esgrimir que aqui d'El rei, a abstenção elevada foi devida a um mero defeito técnico do sistema e não ao facto de os eleitores se estarem positivamente cagando* para as eleições e nos putativos purzedentes, mormente no que teve mais votos dentre os poucos que lá foram.

Aliás, a culpa, como é sabido, é sempre do sistema!




*posso escrever cagando? :D

tiagugrilu disse...

LOL

Não foi o sistema, mas a verdade é que houve gente (não faço ideia de quantos) que quis votar e não pôde. E isso simplesmente não deveria ser possível.

A disse...

eu pensei que a alexandra apenas tivesse a ser moralista então não fiz caso do que ela disse. já percebi, mas acho mal que não seja metido nas percentagens.

acho que podes escrever cagando, bock. agora putativa, essa é bastante forte.

tiagugrilu disse...

É aconselhável a sua substituição por prostitutativa. Em casos mais poéticos poderá ser usado o termo mais arcaico, meretrizativa.

Alexandra disse...

Obrigada, A.

Bock disse...

Eu conheço duas pessoas que até vieram de longe para votar e não puderam, à conta dessa brincadeira.

E por acaso até aposto (o rabinho e 10 tostões) que iam cagar, perdão, votar, no então rameirativo mas que posteriormente afinal se veio a consagrar efectivo, pursidente.

Bock disse...

(fiquei cá com uma pena deles...)

tiagugrilu disse...

Eles vinham de longe para votar no mulherdavidativo purzidente?

- E ainda há pessoas que não sabem onde hão-de poupar combustível...

Bock disse...

Sim, no garotadeprogramativo pursidente...

tiagugrilu disse...

Querias dizer profissaomaisvelhadomudativo pursidente?

Bock disse...

Sim, o marreca-de-monsantativo pursidente.

tiagugrilu disse...

LOL!

A disse...

malhonadativo pursidente?

A disse...

alternadeirativo pursidente? não?

ok, eu desisto deste jogo.

tiagugrilu disse...

Carolinasalgadativo pursidente, sim.

Bock disse...

Bom, já que estamos nisso, aquilo a que me estava a referir era a isso mesmo, A, o Carlosdecastrativo pursidente...

tiagugrilu disse...

Para quem quiser saber mais sobre a (estranha falta de) importância dos votos em branco, leiam isto sobre o O artigo 10.

A disse...

por acaso, já ontem fiquei a pensar sobre o que a alexandra disse. e esse link só vem tirar-me as dúvidas. basicamente não podes chegar às urnas e dizer que nenhum dos candidatos te representa, porque és obrigado a levar com algum deles. as pessoas que sintam que nenhum dos candidatos as representa, se quiserem que o voto delas tenha importância têm de votar num palerma.

estou muito perto de deixar de ir votar.

Alexandra disse...

Também podes candidatar-te, A.

Quando tiveres idade.

A disse...

au, alexandra. essa doeu.

A disse...

espera, alexandra, só agora é que me lembrei que é preciso ter 35 anos para se poder candidatar à presidência.

sou tão criança, ainda.

tiagugrilu disse...

...seu palerminha!

Alexandra disse...

Quanto a mim, haveria sim uma idade máxima.

Bock disse...

Bom link, Tiago.
a coisa está bem explicada.
Seja como for, continuo a achar que o voto em branco tem um significado muito especial e que continua a fazer sentido, independentemente da lei e que basicamente se traduz num singelo: eu existo e venho cá dizer-vos que não gosto de vocês.

E quando for de meter cruzinha nalgum sítio, mete-se e 'mai nada.

E quanto à abstenção, acho que cada vez mais assume um 2º significado: já não engloba só os cidadãos de 2ª com atraso mental grave e filhos de gente que não lhes soube incutir valores cívicos básicos e que ainda não se deram conta da importância do voto, mas também muito boa gente com consciência política e que escolheu não ir votar de forma deliberada: a abstenção elevada também pode ser uma forma de minar a legitimidade dos putati..., quer dizer, dos candidatos.

Alexandra disse...

Para isso, serve o voto branco, Bock.

A abstenção, por muito que alvitrem, significa somente preguiça e falta de civismo.

Bock disse...

Parafraseando o Camarada Álvaro: Olhe que não, olhe que não.

O desinteresse pelos candidatos pode ser de tal ordem que as pessoas decidem não ir votar como forma de manifestar esse profundo desinteresse - e não por preguiça e falta de civismo (normalmente é o caso de quem se abstém), mas como forma de retirar legitimidade ao acto eleitoral e aos eleitos.

Conheço quem se tenha abstido dentro desta lógica. Pessoalmente, continuo a achar que quem não gosta deles, deve votar em branco... Mas convenhamos e em termos abstractos: dizer que votaram 90% das pessoas, e que X ganhou com 50% desses votos, é capaz de não soar tão mal como X foi eleito por 50% dos votantes, mas a abstenção de 50% faz com que só 25% do povo tenha votado nele... Diria que no fim se calhar acaba por ser mais demolidor para a legitimidade do Cava... quer dizer, do eleito.

Alexandra disse...

A questão é que isso não é lógica.

Sei também de quem o fez mas, convenhamos, quem quer manifestar seja o que for, fá-lo através do voto. Daí existir a possibilidade do voto em branco e até do nulo (que tem que ser lido/descrito em voz alta na contagem dos presentes).

Bock disse...

Pois. Também acho.

Foi por um triz que não votei no Pato Dónal.

Ou no Averell Dalton. Também foi quase.

Mas o Dr. Branco prevaleceu.

Gata das Botas disse...

Não votaste no Pato Donald?!
Traidor!

Bock disse...

Fazer o quê?
O imperativo categórico que vive em mim falou mais alto.

Bock disse...

(há quem tenha lombrigas. Ou chatos. Eu tenho um imperativo categórico. A cada qual os seus parasitas)

Canuca disse...

Eu ia votar no Dr. Branco, mas depois de me fartar de andar e de ter as orelhas congeladas, resolvi fazer uma cruz em cima deles todos...depois fiz uma nota e escrevi lá uma coisa que começava em "F" e acabava em "se"...